Aleitamento.com
AmamentaçãoMãe CangurúCriançasCuidado PaternoHumanização do PartoBancos de Leite Humano Espiritualidade & Saúde DireitosProteçãoPromoçãoILCA / IBCLCConteúdo ExclusivoTV AleitamentoGaleria AMNotíciasEventosSites e BlogsLivrariaCampanhas
 
Faça seu login e utilize ferramentas exclusivas. Se esqueceu a senha, acesse o "cadastre-se" e preencha com seu e-mail.

EUA: AMERICANAS AMAMENTAM muito pouco - preocupação governamental

Por: O Estadão + Prof. Marcus Renato de Carvalho

   

  Menos da metade das mães americanas amamenta durante seis meses

 Pesquisa do CDC mostra que 22% mantêm aleitamento por 1 ano;

Mississippi tem pior índice

 15 de setembro de 2010

 Reuters

 WASHINGTON - Menos da metade (43%) das mulheres que amamentam os filhos recém-nascidos nos Estados Unidos cumpre seis meses de recomendação e apenas 22% mantêm o aleitamento durante um ano - período considerado ideal -, revelam pesquisadores dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC, na sigla em inglês).

Embora 75% dos bebês recebam leite materno logo após o nascimento, as mães costumam desistir rapidamente - apesar de orientações para que as crianças mamem pelo menos no primeiro ano de vida.

Bebês que são amamentados têm menos probabilidade de se tornar adolescentes ou adultos obesos e de adquirir outros problemas durante a vida. O combate à obesidade infantil é um dos principais objetivos da administração do presidente Barack Obama.

Quase 90% dos recém-nascidos no Estado de Utah, região das Montanhas Rochosas, são amamentados, contra 52,5% no Mississippi, sudeste americano, segundo o CDC.

"Precisamos direcionar esforços ainda maiores para ter certeza de que as mães tenham o apoio necessário em hospitais, locais de trabalho e comunidades a fim de continuarem a amamentação além dos primeiros dias de vida e cheguem até os seis meses ou um ano", diz em comunicado o Dr. William Dietz, diretor da divisão de Nutrição, Atividade Física e Obesidade do CDC.

A Academia Americana de Pediatria recomenda que os recém-nascidos não recebem nada além do leite materno durante os seis primeiros meses de vida, e que as mães continuem a amamentação pelo menos até o final do primeiro ano, mesmo após a criança começar a ingerir outros tipos de alimentos.

Nas mulheres, a amamentação reduz o risco de câncer de mama e de ovário. De acordo com estimativas da Academia de Pediatria, se mais mães amamentassem nos Estados Unidos, os custos anuais com saúde no país poderiam ser reduzidos em US$ 3,6 bilhões.


 

Comentários:

- O Brasil apresenta índices muito melhores que o americano;

- No nosso país a promoção, proteção e apoio ao aleitamento é política pública desde o início dos anos 80;

- Nossas recomendações, ex.: continuar o aleitamento até os 2 anos ou mais é mais adequada, segundo a OMS...

- Eles são condescendentes com o uso de chupeta, que causa muitos malefícios...

- As mães americanas não têm direito a Licença maternidade...

Marcus Renato de Carvalho



 

 

 


Última atualização: 9/6/2011

 

Curtir

Comentários


Essa é uma área colaborativa, por isso, não nos responsabilizamos pelo conteúdo. Leia nossa Política de Moderação.
Caso ocorra alguma irregularidade, mande-nos uma mensagem.

 

Depoimentos

Gostou do site? Ele te auxiliou em algum momento? Deixe seu depoimento, assine nosso livro de visitas! Clique aqui.

Quem Somos | Serviços | Como Apoiar | Parceiros | Cadastre-se | Política de Privacidade/Cookie/Moderação | Fale Conosco
O nosso portal possui anúncios de terceiros. Não controlamos o conteúdo de tais anúncios e o nosso conteúdo editorial é livre de qualquer influência comercial.
Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência. Ao navegar no mesmo, está a consentir a sua utilização. Caso pretenda saber mais, consulte a nossa Política de Privacidade/Cookie.
24 Ano no ar ! On-line desde de 31 de julho de 1996 - Desenvolvido por FW2 Agência Digital