Aleitamento.com
AmamentaçãoMãe CangurúCriançasCuidado PaternoHumanização do PartoBancos de Leite Humano Espiritualidade & Saúde DireitosProteçãoPromoçãoILCA / IBCLCConteúdo ExclusivoTV AleitamentoGaleria AMNotíciasEventosSites e BlogsLivrariaCampanhas
 
Faça seu login e utilize ferramentas exclusivas. Se esqueceu a senha, acesse o "cadastre-se" e preencha com seu e-mail.

Dicas para a saúde oral da Gestante e do Bebê

Por: Prof. Marcus Renato de Carvalho, IBCLC

Higiene Bucal => Saúde Oral

 

 Você pode fazer muito para influenciar positivamente a saúde e bem-estar de seus filhos. Isto é verdade principalmente no caso do cuidado bucal, porque os hábitos que as crianças observam e aprendem têm efeito para toda a vida. Nossos filhos aprendem mais com o nosso exemplo, do que com o que falamos. Aprender sobre o desenvolvimento bucal irá capacitá-lo a estabelecer uma rotina eficaz de higiene oral dos nossos filhos e entender melhor as recomendações do dentista.

 

Saúde Bucal durante a gravidez

Durante a gravidez, é importante lembrar que o corpo da mãe é a única fonte de nutrição para o crescimento do feto e que os dentes de leite começam a se formar a partir da 6ª semana após a concepção.Alimentos ricos em cálcio e fósforo são especialmente benéficos durante a gravidez. A mãe deverá aumentar a ingestão de queijo e peixe e substituir alimentos com alto teor de açúcar por frutas e vegetais frescos. Alimentos açucarados devem ser evitados, porque, por volta do 4º mês de gravidez, começa a se desenvolver o paladar do bebê e, se a futura mamãe consumir muito açúcar, o bebê provavelmente irá gostar muito de doces.A gravidez causa flutuações hormonais que podem aumentar a sensibilidade das gengivas, ocasionando doenças nas mesmas.  Ao notar que está grávida, a mulher deve informar seu dentista e manter as visitas regulares. Sempre que possível, reduzir uso do raio X. A rotina de escovação, uso do fio dental, enxagüatório bucal sem álcool e creme dental com flúor deverão ter atenção redobrada nesta época.

Cuidados com o bebê

No primeiro semestre da vida do bebê o leite é essencial, e o melhor leite para ele é o da mãe, que contém tudo o que o bebê precisa na quantidade e qualidade exatas, incluindo anticorpos para defesa do organismo.

A amamentação deve ser exclusiva nos primeiros 6 meses de vida. Depois, introduzimos, sucos naturais e água de coco, papa de frutas, purê de legumes; e o aleitamento materno poderá ser mantido até os 2 anos ou mais..

Não se deve levar à boca objetos que serão usados para alimentar o bebê. Evita-se assim uma possível transmissão de bactérias existentes na boca do adulto, as quais podem provocar doenças na boca do bebê. Proceda a limpeza da boca do bebê pelo menos uma vez ao dia usando gaze estéril embebida em água mineral.

Irrupção (ou nascimento) dos dentes

O nascimento dos dentes pode levar o bebê a rejeitar alimentos, ter um sono inquieto, começar a babar devido ao aumento de salivação e levar constantemente as mãos e outros objetos à boca. A irrupção pode fazê-lo chorar sem motivo aparente e associar-se ainda a outros sintomas como febre, congestão e irritabilidade. A irrupção também pode ocorrer ao mesmo tempo em que uma virose ou outra doença. Consulte sempre o pediatra para ter certeza da saúde do bebê.

A boca se desenvolve de forma diferente em cada criança, mas o primeiro dente de leite geralmente aparece por volta dos 7 meses. Normalmente até os 3 anos, todos os 20 dentes de leite já nasceram.

Os dentes permanentes começam a aparecer ao redor de 6 anos, quando o 1º molar permanente (molar dos 6 anos) cresce atrás do último molar infantil.

Observe a falta de coloração ou inchaço das gengivas e peça ao dentista maiores informações sobre produtos de uso local, mordedores ou outras maneiras para aliviar o desconforto do bebê. Chupar o dedo é um hábito comum e é seguro para crianças pequenas.

A 1ª Visita ao dentista

Deve-se levar a criança ao dentista antes do nascimento do primeiro dente, para que os pais recebam orientação adequada.

È bom que os filhos sejam acompanhados nas consultas ao dentista, para que eles se sintam confortáveis, percam o medo e adquiram confiança para a prática correta do cuidado bucal. Isto permitirá ao dentista diagnosticar problemas potenciais.

Indicando a escovação e ouso do fio dental

Inicie a escovação assim que nascer o primeiro dente do bebê. Use escova infantil pequena que possua cerdas macias. Escove os dentes depois das refeições e antes de dormir. Essa rotina deve levar ao hábito de escovar dentes, antes mesmo de 2 anos.

O adulto deve escovar os dentes na presença da criança e dar-lhe uma escova infantil de presente, assim ela terá curiosidade em imitá-lo. Motive a criança a escovar os dentes desde cedo e faça este aprendizado ser fácil e divertido. Comece ensinando uma etapa de cada vez. Primeiro, brincando com uma escova na boca; depois praticando as devidas técnicas de escovação; por fim, escovando com um creme dental sem flúor ou com flúor após os 36 meses de idade. Explique que o creme dental com flúor não deve ser engolido.

Até que a criança complete 9 anos, supervisione a escovação. Tão logo seja estabelecida a rotina da escovação, inicie o uso do fio dental. Quando a criança tiver a habilidade necessária, motive-a a usar sozinha. A boa escovação começa pela escolha de uma escova dental adequada. Use escovas que atinjam confortavelmente os dentes de trás sem machucar a língua e as partes moles da boca.

Dentes de leite

As crianças possuem em média 20 dentes de leite. Apesar de serem dentes que caem para ceder lugar aos dentes permanentes, eles são muito importantes na articulação das palavras, desenvolvimento dos maxilares e músculos da face da criança; servem de guia para os dentes permanentes nascerem na posição correta; e mantém o espaço para os futuros dentes permanentes. Quando a criança perde um dente de leite antes da época, os dentes vizinhos ficam sem contato, movimentando-se, diminuindo o espaço e dificultando o nascimento dos dentes permanentes.

Muitas crianças que usam aparelho de correção dentária tiveram perda precoce dos dentes de leite. Perdê-los antes do tempo compromete tudo isto, além de ocasionar o nascimento de dentes permanentes tortos.

Alimentação

Quem se alimenta toda hora não permite que a saliva volte à normalidade (de pH), tornando o ambiente bucal ideal para as bactérias existentes na boca produzirem mais ácidos que destroem os dentes. Evite alimentos aderentes e pegajosos, e escove os dentes após cada refeição. As manchas brancas que aparecem nos dentes são comuns em pessoas que se alimentam freqüentemente (elas são indícios de cárie). Os lanches que as crianças levam para escola não devem ser cariogênicos, devem ser à base de frutas ou legumes como maçã, laranja, abacaxi, melão, cenoura, em vez de bolos, biscoitos, geléias e refrigerantes.

Durante a infância é essencial ter uma alimentação balanceada que proteja o dente contra cárie. Restringir a ingestão de comidas e bebidas com alto teor de açúcar é primordial porque os dentes de leite têm esmalte bastante suscetível a cáries.

A importância do uso do Flúor

A mancha branca ou cárie inicial pode ser paralisada quando o dentista faz aplicações tópicas de flúor, quando escovam os dentes com cremes dentais contendo flúor ou quando se bochecham soluções fluoretadas. Deste modo, consegue-se reparo do esmalte dentário danificado. Se a mancha branca não for tratada a tempo, ela progredirá originando uma cavidade que vai se aprofundando, provocando dores fortes e infecções (pulpite). À medida que a infecção aumenta, aparece o abscesso, o rosto fica inchado e ás vezes o pus sai por uma bolinha que se forma na gengiva. O uso diário de enxagüatório com flúor ajuda a reduzir as cáries em até 50%.

Dor de dente

É uma das dores fortes e à medida que atinge o nervo (polpa) fica mais intensa.

Quando a cárie ainda não é profunda, a dor pode ser esporádica, se não ativada por doces ou líquidos frios. A qualquer sinal de dor, procure imediatamente o dentista. Com o aprofundamento da cárie, a dor pode ficar contínua e, às vezes, os analgésicos praticamente não têm efeito.

Perda acidental do dente

Não deixe o dente solto secar. Lave-o delicadamente (sem esfregar), depois o coloque no leite ou em um pano umedecido com leite ou água. Como alternativa, mantenha o dente na boca seguro pela bochecha. Ligue imediatamente para o seu dentista e marque uma consulta de emergência. Se o dente for recolocado em até 30 minutos após sua queda, há uma chance de 90% de recuperação.

É importante passar estas instruções para a criança, caso um adulto não esteja presente durante um acidente ou lesão na prática de algum esporte que causa a perda de um dente permanente.

 

Apoio: Oral B

 

 


Última atualização: 16/5/2011

 

Curtir

Comentários


Essa é uma área colaborativa, por isso, não nos responsabilizamos pelo conteúdo. Leia nossa Política de Moderação.
Caso ocorra alguma irregularidade, mande-nos uma mensagem.

 

Depoimentos

Gostou do site? Ele te auxiliou em algum momento? Deixe seu depoimento, assine nosso livro de visitas! Clique aqui.

Quem Somos | Serviços | Como Apoiar | Parceiros | Cadastre-se | Política de Privacidade/Cookie/Moderação | Fale Conosco
O nosso portal possui anúncios de terceiros. Não controlamos o conteúdo de tais anúncios e o nosso conteúdo editorial é livre de qualquer influência comercial.
Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência. Ao navegar no mesmo, está a consentir a sua utilização. Caso pretenda saber mais, consulte a nossa Política de Privacidade/Cookie.
24 Ano no ar ! On-line desde de 31 de julho de 1996 - Desenvolvido por FW2 Agência Digital