Aleitamento.com
AmamentaçãoMãe CangurúCriançasCuidado PaternoHumanização do PartoBancos de Leite Humano Espiritualidade & Saúde DireitosProteçãoPromoçãoILCA / IBCLCConteúdo ExclusivoTV AleitamentoGaleria AMNotíciasEventosSites e BlogsLivrariaCampanhas
 
Faça seu login e utilize ferramentas exclusivas. Se esqueceu a senha, acesse o "cadastre-se" e preencha com seu e-mail.

\ Amamentação \ Geral \ Artigo

Precisamos de uma CAPA para ESCONDER a AMAMENTAÇÃO?!

Por: Adriana Prado para a Revista Isto É + Marcus Renato de Carvalho

Etiqueta para amamentar

 

Capa que encobre seios abre debate sobre o que é adequado na hora de dar de mamar em público

 
                                                                     Adriana Prado para a
Revista Isto È
 

 

Uma mãe foi expulsa de um ônibus por amamentar o filho na Inglaterra. Nos Estados Unidos, o mesmo aconteceu com uma mulher que tentou dar de mamar a seu bebê num restaurante. Nesses e em outros países, como o Canadá, expor os seios, mesmo que seja para amamentar, é inapropriado. Tanto que prospera um novo mercado: o de capas protetoras para o colo. Os fabricantes de acessórios próprios para encobrir a amamentação dizem que o utensílio evita constrangimentos. Mas pode provocar revolta, também. A americana Jessica Davis até criou o movimento

“If breastfeeding offends you, put a blanket over YOUR head!”

“Se a amamentação te incomoda, coloque uma coberta sobre a SUA cabeça!”.

“Nos EUA não é normal ver uma mulher amamentando, mas é comum ver uma de biquíni, vendendo carro ou cerveja. Muita gente vê os seios como algo puramente sexual, que deveria ser escondido”, disse Jessica, mãe de dois filhos, à ISTOÉ. Mesmo no Brasil, onde amamentar em público (ainda) é considerado normal, essas capas já estão à venda.



“É uma questão cultural. No Brasil, felizmente, apesar da nossa sexualidade, a amamentação é muito respeitada, as mulheres não são assediadas”,

explica o pediatra Marcus Renato de Carvalho, professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e especialista em aleitamento materno. Por isso mesmo, o médico acredita que produtos como a capa Baby Moment, lançada aqui em janeiro, não vão pegar. Disponíveis em estampas variadas e vendidas a R$ 68, as capas querem vender a ideia de modernização. “São indispensáveis para as mães modernas que desejam amamentar os seus bebês com discrição e estilo”, diz o slogan da fabricante. O acessório tem uma alça que o prende ao pescoço, como uma espécie de avental.

“Isso tudo é muito ruim, porque a amamentação é uma cultura. As crianças precisam ver que é uma coisa natural para não acharem inadequado no futuro”,

acrescenta o Carvalho. Segundo ele, uma mulher que quer amamentar, mas se sente constrangida pelo ambiente, pode até somatizar, deixando de produzir leite.

 

Comentário de Evelyn em 04/10/2010 09:58:09:

Concordo com a americana, os ofendidos que ser retirem. Somos obrigadas a ver tanta barabridade, tantas exposições explicitas, a amamentação é um ato de amor. E essa das capinhas é só para ganhar dinheiro as custas das mães mais empolgadas, nada que uma fralda de pano não resolva.

 
 
Adriana Prado - Revista Isto É + Marcus Renato de Carvalho

Última atualização: 04/10/2010

 

Curtir

Comentários


Essa é uma área colaborativa, por isso, não nos responsabilizamos pelo conteúdo. Leia nossa Política de Moderação.
Caso ocorra alguma irregularidade, mande-nos uma mensagem.

 

Depoimentos

Gostou do site? Ele te auxiliou em algum momento? Deixe seu depoimento, assine nosso livro de visitas! Clique aqui.

Quem Somos | Serviços | Como Apoiar | Parceiros | Cadastre-se | Política de Privacidade/Cookie/Moderação | Fale Conosco
O nosso portal possui anúncios de terceiros. Não controlamos o conteúdo de tais anúncios e o nosso conteúdo editorial é livre de qualquer influência comercial.
Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência. Ao navegar no mesmo, está a consentir a sua utilização. Caso pretenda saber mais, consulte a nossa Política de Privacidade/Cookie.
24 Ano no ar ! On-line desde de 31 de julho de 1996 - Desenvolvido por FW2 Agência Digital