Aleitamento.com
AmamentaçãoMãe CangurúCriançasCuidado PaternoHumanização do PartoBancos de Leite Humano Espiritualidade & Saúde DireitosProteçãoPromoçãoILCA / IBCLCConteúdo ExclusivoTV AleitamentoGaleria AMNotíciasEventosSites e BlogsLivrariaCampanhas
 
Faça seu login e utilize ferramentas exclusivas. Se esqueceu a senha, acesse o "cadastre-se" e preencha com seu e-mail.

MEDICAMENTOS ANTIDEPRESSIVOS podem PREJUDICAR a LACTAÇÃO

Por: O Globo online + Prof. Marcus Renato de Carvalho

Uso de antidepressivos por NUTRIZES pode atrasar produção de leite materno

 

        Mulheres que tomam uma das classes mais vendidas de antidepressivos podem apresentar atraso na produção de leite materno depois do parto e precisar de suporte adicional para atingir as suas metas de aleitamento. É o que diz estudo aceito para publicação na revista "The Endocrine Societys Journal of Clinical Endocrinology & Metabolism (JCEM)".

 

A amamentação beneficia os bebês e as mães em diversos aspectos. Como o leite materno é de fácil digestão e contém anticorpos que protegem contra infecções bacterianas e virais, a Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda que as crianças sejam amamentadas exclusivamente pelo menos nos seis primeiros meses de vida e que continuem sendo amamentados até 2 anos ou mais. E os autores da pesquisa alertam que o consumo de alguns medicamentos antidepressivos pode estar ligado a uma dificuldade conhecida como "atraso da ativação secretora".

- A capacidade de os seios secretarem o leite na hora certa está intimamente relacionada com a produção e regulação do hormônio serotonina - diz Nelson Horseman, da Universidade de Cincinnati e principal autor do estudo. - Drogas comuns como fluoxetina, sertralina e paroxetina, chamados de inibidores seletivos da recaptação da serotonina (ISRS) podem afetar o humor, a emoção e o sono; e elas também podem ter impacto na regulação da serotonina na amamentação. Isto aumenta o risco de atraso na lactação, na oferta de leite materno de forma exclusiva.

No estudo, os cientistas examinaram os efeitos das drogas ISRS na lactação a partir de estudos de laboratório de linhagens de células humanas, de animais e ratos geneticamente modificados. Além disso, uma análise de observação avaliou o impacto das drogas ISRS sobre o início da produção de leite em depois do parto. Os autores acompanharam 431 mulheres e o início médio da lactação pós-parto foi de 85,8 no grupo que tomava antidepressivos e 69,1 horas nas mães não tratadas com as drogas. Os pesquisadores geralmente definem o atraso na ativação secretora quando ele ocorre mais de 72 horas depois do parto.

- Essas drogas são úteis para muitas mães. Precisamos de mais pesquisas com humanos antes de fazer recomendações específicas sobre o uso de antidepressivos ISRS durante a amamentação - diz Horseman.


Última atualização: 1/12/2010

 

Curtir

Comentários


Essa é uma área colaborativa, por isso, não nos responsabilizamos pelo conteúdo. Leia nossa Política de Moderação.
Caso ocorra alguma irregularidade, mande-nos uma mensagem.

 

Depoimentos

Gostou do site? Ele te auxiliou em algum momento? Deixe seu depoimento, assine nosso livro de visitas! Clique aqui.

Quem Somos | Serviços | Como Apoiar | Parceiros | Cadastre-se | Política de Privacidade/Cookie/Moderação | Fale Conosco
O nosso portal possui anúncios de terceiros. Não controlamos o conteúdo de tais anúncios e o nosso conteúdo editorial é livre de qualquer influência comercial.
Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência. Ao navegar no mesmo, está a consentir a sua utilização. Caso pretenda saber mais, consulte a nossa Política de Privacidade/Cookie.
24 Ano no ar ! On-line desde de 31 de julho de 1996 - Desenvolvido por FW2 Agência Digital